terça-feira, 26 de abril de 2016

Gráficos e tabelas de forma contextualizada


 E vamos falar sobre família! Todo ano esse tema se repete em nossos planejamentos, mas a ideia aqui é aproveitar a realidade dos alunos para construir conceitos matemáticos.

 O livro escolhido para a semana foi esse:


                               


 Ele trata das diferenças entre as famílias e aborda temas como a desigualdade social, trazendo boas discussões para a sala de aula.

 Sempre exploro a leitura, com análise, ortografia, produções e etc.

 Mas essa leitura serviu de base para a construção de um gráfico também.

 Primeiro enviei uma pesquisa para casa.

       


 No outro dia, cada um apresentou sua pesquisa para os colegas. Ótimo momento para desenvolver a oralidade.

 Conforme as crianças apresentavam eu anotava no quadro as atividades que eles realizavam com a família. 

                                


 Depois de tudo anotado, fomos para a votação. Eu perguntava quantas crianças jantavam junto com a família, contávamos e anotávamos as respostas. Eles registravam tudo no caderno.

                              


 A turminha já está acostumada a fazer gráficos pequenos, mas como esse tinha mais dados preferi digitar.

 No dia seguinte a atividade foi olhar as anotações da aula anterior e pintar o gráfico, nessas atividades incentivo sempre a autonomia. 


                           


 Fizemos a interpretação oral do gráfico, a parte escrita deixei para colocar na avaliação deles. Não sou de postar modelos de avaliação, mas sempre procuro fazê-las de forma integrada e contextualizada.

  Essa foi umas das avaliações do 1º bimestre,  o tema foi família.

                             


  



                        


     A contextualização torna a aprendizagem mais significativa e o que tem significado e importância a gente não esquece!

Espero que gostem das ideias e possam aproveitá-las! Até mais!!!


sexta-feira, 15 de abril de 2016

Maleta da leitura com segredo e festa do pijama

                               

 Quem está sempre aqui pelo blog sabe que este ano estou acompanhando uma turma pela primeira vez. Meu desafio inicial foi pensar num projeto de leitura diferente. Já faz algum tempo que trabalho com o Quadro de estrelinhas e os resultados são ótimos, mas não teria a mesma emoção para os alunos, nem  aquela expectativa gostosa... 

 Logo lembrei da maleta da leitura, é um projeto ótimo! Mas queria algo mais, então pensei, pensei e opa! Era isso mesmo!!!

 O livro que escolhi é lindo, o conheci no primeiro ano do PNAIC, na escola não o temos , então encomendei pela internet.

                                   

  Chegou rapidinho, preparei os materiais e fui, nas duas primeiras semanas de aula, instigando os alunos sobre maleta e o segredo que havia nela. 

  Perguntavam todo dia sobre o segredo, olhando para a maleta fechadinha no armário...

  Então, quando chegou a data que havíamos combinado expliquei como a usaríamos .

 Cada aluno levaria a maleta um dia para casa, quem levasse indicaria a leitura para outro amigo e assim por diante até que todos lessem o livro que estava dentro dela. Com uma única condição: o livro tinha um segredo, quem lesse não poderia contar nada para ninguém... Nem sobre o título, nem os personagens, nadinha de nada...

 Dentro da maleta coloquei um caderno de desenho com uma ficha. Cada criança lia o livro, de preferência com a família, e registrava na ficha o que mais gostava com escrita e desenho. Também tinha que responder qual era o segredo da leitura.

 Era uma expectativa todo dia, só eu olhava a ficha e via se o amigo tinha acertado... Até que um colega escreveu: " O segredo vai ser fazer uma festa do pijama." Quando disse que ele acertou foi um alvoroço bom e animado!

 Dali pra cá, todo assunto era a festa! Marcamos a data no calendário e começamos a nos preparar.

    


  Na semana da festa, explorei muitas atividades com o livro: mapa-múndi, estrutura de uma carta, convite de festa, probleminhas envolvendo o que compraríamos para o lanche e outros conteúdos.



                      

 No dia foi maravilhoso, seguimos o cronograma feito e eu acho que nunca me diverti tanto numa aula!


 Desfile com premiação do pijama mais bonito. 


Produção de texto onde cada um falou sobre a festa e seu pijama.




Cineminha, relembrando bons momentos do ano passado.


Guerra de travesseiro 

                                                  


E lanche, tudo bem saudável!!!


 Sabe, na sexta-feira não usei caderno, a produção de texto foi escrita e a correção feita com cada um sem problemas, ficamos de pijamas das oito da manhã até as três da tarde, mas o dia nunca passou tão rápido!

 O que uma festa do pijama ensina? Ensina que um livro é uma aventura, que com um pijama a gente se diverte o dia inteiro, que a escola é um espaço de aprender e criar lembranças que duram para sempre, lembranças que vão nos fazer gostar de estudar e saber que vale a pena viver Num constante aprendizado!

                                   

 Obrigada por sua visita e até a próxima maleta da leitura!!!

sábado, 2 de abril de 2016

Ensinando a divisão com receitas e jogos


 Ano passado utilizei uma receita para ensinar o conceito de divisão. Fizemos biscoitinhos amanteigados.

                                     


       

 Toda a análise do texto foi feita, também produções e correções, mas minha finalidade era ensinar a divisão. No segundo ano eles ainda não aprendem o algoritmo, mas é essencial a compreensão do que é dividir para realizar as continhas mais tarde.

                                                                                                                                                                        Nessas fotos estávamos preparando os biscoitinhos. Depois de colocá-los no forno, fomos para sala e fizemos atividades envolvendo o conceito. Os probleminhas giravam em torno do tema: "Ana tem 18 biscoitinhos e tem que repartí-los, igualmente, entre 3 amigas". Com desenhos eles foram resolvendo as situações.


 Quando os biscoitos ficaram prontos dividimos entre eles.

 Outra atividade que ajudou a construir o conceito de divisão foi uma brincadeira no pátio com bambolês e tampinhas de garrafa que recolhemos no concurso de tampinhas.

                                                  

 Eles tinham as tampinhas à disposição e os bambolês já ficavam organizados conforme a divisão que seria feita.
 Então chamava de dois em dois e falava a divisão. Eles tinham que pegar o número exato de tampinhas e dividí-las nos bambolês, fiz divisões com e sem resto, sempre com números pequenos.

                                   

 Alguns alunos faziam rapidamente, outros contavam nos dedos e outros dividiam uma a uma, até que não sobrassem mais tampinhas ou não desse mais para dividí-las de modo que todos os bambolês tivessem a mesma quantidade.

 Essas ideias são bem simples e ajudam a despertar o interesse e motivá-los. Espero que gostem!


 Obrigada pela visita e até a próxima!