segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Os neurônios da leitura



  A dica de leitura de hoje é voltada para aqueles, que como eu, buscam compreender um pouco mais sobre o aprender da criança.

 Estudando para meu artigo recebi a indicação desse livro. Fiquei, é claro, entusiasmada e corri para comprá-lo. 

                                                     

 Na internet o preço varia entre 50,00 e 70,00 reais mais o frete. Não é um livro com uma linguagem muito fácil, pois apresenta uma visão científica do tema.  Tem 374 páginas. 

 Antes de iniciar os estudos com ele é necessário conhecer um pouco sobre o funcionamento básico do cérebro, por isso indico a leitura de "Como o cérebro aprende". Aqui no blog tem a minha visão sobre o livro: http://numconstanteaprendizado.blogspot.com.br/2015/07/dica-de-leitura-como-o-cerebro-aprende.html .

 Poderia falar sobre dezenas de conclusões e definições científicas que o livro aborda, mas vou apontar a principal que será a base do meu artigo para a conclusão da pós: O caminho da leitura no cérebro.

 Em resumo, a leitura se realiza por uma via fonológica, onde a correspondência grafema-fonema é a base da aprendizagem.

 O que me fez pensar, mais uma vez, sobre a dificuldade, ainda encontrada, quanto aos métodos de ensino. Muitos deles buscam inovar, facilitar e até enformar o ensino da leitura, mas não levam em conta como isso ocorre no cérebro de uma criança.


                                                       

 Sabendo que há um caminho universal para o aprendizado da leitura e que nosso cérebro trabalha brilhantemente para  que ocorra a transformação de um símbolo, no caso o grafema, para uma imagem acústica, o fonema; não podemos deixar de lado todas as contribuições da consciência fonológica para o aprendizado da leitura e simplesmente adotar um novo método.

 Lembrando que não estou falando de método fônico, nem de nenhum outro, mas de conhecer como a criança aprende para saber como ensinar!

 No mais, tenho tentado realizar esse caminho, agora com mais clareza e certeza, em minha prática alfabetizadora que não está engessada num método, mas sempre em renovação. 

 Por isso sigo neste constante aprendizado, sabendo que o conhecimento unido à reflexão transforma nossa prática diária e consequentemente os resultados na sala de aula.


                                                 


Que o desejo de transformar não seja apenas uma vontade, mas uma oportunidade para fazer a diferença!!!

 Até a próxima!!!

2 comentários:

  1. Eu também estou procurando entender como o cérebro de uma criança começa a compreender como se aprende a ler, isso para mim é muito fascinante, gostei demais do texto, é exatamente o que eu penso também. Parabéns pelo seu belo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Oi Francisca Duarte! Esse processo é realmente fascinante, é muito bom poder compartilhar o que aprendemos e acreditamos, isso nos faz crescer como profissionais e o resultado reflete em nossos alunos!

    ResponderExcluir